ALGO MAIS SOBRE MÉIS.

  Quando a abelha coleta o NECTAR, o qual possui  naturalmente a sacarose, o mesmo é
  convertido em glicose (dextrose) e levulose  (frutose)  através das produção de invertase
  pelas glândulas hipofaringeanas da abelha.  Portanto a invertase  inverte a sacarose do
  néctar em glicose (ou destrose)  e levulose (ou  frutose).
  Além disso o  mel não pode ser considerado uma fonte importante de vitaminas,  minerais
  ou  proteínas  ( o que temos é apenas traços desses elementos). Portanto,  o mel é uma
  fonte açucares simples (principalmente glucose *  e  frutose ** ), o que já
  justificaria a sua superioridade sobre outros adoçantes. Vejamos porque.

  O ser humano não absorve sacarose ***  .  Assim, ao ingerir sacarose, o nosso
  pancreas precisa transformá-la em glicose, para somente então absorvê-la.
  Isto é por si só, um esforço metabólico importante para organismo e um
  desgaste para todo o sistema endocrinológico, que poderia estar mais bem
  ocupado, ou poupado. Este esforço contínuo, além de produzir um enorme
  volume dos tão temidos radicais livres, também pode causar doenças crônicas
  como diabetes e hipoglicemia.

  Do ponto de vista dietético, aí sim o mel dá um banho de superioridade em
  qualquer outra fonte de açucares, especialmente aqueles méis mais ricos no mais nobre
  dos açucares, a frutose.
  A frutose (ou levulose), é cerca de 100 vezes menos calórica que a sacarose e com o
  poder  edulcificante praticamente igual. O mel de girasol contém mais de 70% de
  frutose, o que o torna uma excelente alternativa para pessoas em dietas de
  emagrecimento, diabéticos e pessoas com risco de desenvolver doenças
  endocrinológicas.

  Compreender a composição química dos méis é de fundamental importância para
  que possamos orientar os clientes. Se para os atletas de competições longas o
  mel não seja a melhor indicação, certamente é para  competições que exijam explosões
  energéticas. Entretanto, experimente uma  imerção em mel (rico em glicose) por duas
  horas antes de uma competição e  observe a sua capacidade respiratória. O mel penetra
  na  pele, aumenta sua  emoliência e facilita suas trocas com os meios interno e externo. A
  pele é o  maior orgão do corpo humano, responsável por 20% do peso corpóreo. Ela
  também exerce importante papel na respiração e refrigeração....

  Além do mais, ainda existe no mel o poder essencial dos florais e todos os
  constituites químicos responsáveis pelos incontestáveis poderes da
  aromaterapia. Tudo isto, sem entrar nos detalhes da importância dos
  fenólicos, flavonoides, as enzimas estomacais das abelhas e outras centenas
  de substancias ainda não classificadas nos méis.
 

* GLUCOSE - açucar opticamente ativo (C6H12O6) e que possui carbono
         aldeídico. É um doce solúvel que se encontra em abundância na natureza, sendo
  a forma usual no qual os carbohidratos são assimilados pelos animais.

** FRUTOSE - açucar opticamente ativo (C6H12O6) e que difere da glicose por
           ter um grupo carbônico "ketonic" em vez de aldeído . A frutose é encontrada em
  sucos e no mel. A partir da frutose forma-se um produto solúvel, muito doce,
  chamado de levulose.

*** SACAROSE - indica invertase - enzima que cataliza a hidrólise da
            sucrose. SUCROSE: C12H22O11. Cristal crsitalino que ocorre naturalmente na
  maioria das plantas sendo obtido comercialmente especialmente do açucar da
  cana e da beterraba.

  Da literatura temos que: As proporções percentuais da solução  aquosa formada por    levulose, dextrose e sacarose [ MEL - formula C6H12O6 ] ,são:

luvulose: 40.5%
  dextrose: 34%
  sacarose: 1.9%
  agua: 17.7% proteinas: 1.5%, cinzas: 1.8%, enzimas e vitaminas: 2.6%, sais
  minerais e àcidos graxos... .

  Percebe-se que a formula química do mel é a mesma da frutose e da glicose
  (C6H12O6).

A LEVULOSE é a própria FRUTOSE, isto é mesma  fórmula química da frutose mas
      com distribuição espacial ou fenômenos de isomeria ou outra.

Frutose e levulose é a mesma coisa.
Dextrose e levulose são denominações químicas para a glicose e a frutose, respectivamente. Todo mel possui frutose/levulose. Em relação à fórmula da glicose e frutose serem a mesma, isso deve-se a fato de realmente serem isômeros.
O organismo não "cria"  frutose, mas pode reduzir a sacarose da cana de açúcar, um açúcar composto, em açúcares simples como a glicose e a frutose, o que obviamente exige um esforço do organismo inexistente quando se obtém a glicose e a frutose diretamente do mel da abelhas.
Sem querer ser reduntante, pode-se de fato afirmar que: o corpo humano não produz frutose jamais. Todavia, pode absorver a frutose mais facilmente, pois a sua molécula é identica à da glicose, apenas com isómeros diferentes (ciclo de krebs, vias metabólicas), que facilitam a sua  absorção. Assim sendo, ao ser ingerida, a sacarose será convertida em glicose. A glicose ou frutose serão absorvidas diretamente sem necessiade de conversões. Por isto o mel é tão bom, muitos açucares simples e pouca sacarose.

 

CLIQUE AQUI PARA RETORNAR À PÁGINA PRINCIPAL