II- PADRÃO LANGSTROTH

Na figura acima observa-se o trabalho de dois apicultores, com a vestimenta completa para proteção contra as ferroadas das abelhas. O da esquerda, está  segurando um favo. O da direita está segurando o fumegador. A caixa manipulada é  o ninho Padrão LANGSTROTH . O genial apicultor americano Lorenzo Lorraine Langstroth foi o criador do "Padrão Langstroth"  para abelhas melíferas.
O objetivo de Langstroth era construir uma colmeia que atendesse às antigas aspirações dos apicultores:

- fácil manejo, que induzisse às abelhas construírem em quadros
  móveis providos  de  cera alveolada;

- máximo desenvolvimento  da colônia de abelhas com uma rainha
  prolífica;

- máximo aproveitamento  do mel estocado;

- máxima economia  apresentada  pela possibilidade centrifugação
  de seus quadros  móveis  providos de cera alveolada;

- baixo custo de construção  e disponibilidade de materiais;

Perseguindo estes objetivos,Langstroth verificou que as abelhas em uma colmeia, sempre completavam com própolis qualquer espaço inferior a 5/16 de polegada( 4,7 mm) e todo espaço superior a 3/8 de polegada ( 9,5 mm ) erapreenchido com construções de escada de cera ou favos. A média entre estes dois valores é de 5/16 de polegada ( 7,9mm ).

Este "código de obras"  é rigorosamente obedecido pelas abelhas, é o que Langstroth chamou de espaço-abelha. O espaço abelha está entre 6 a 8 mm ,  podendo em algumas colméias ter uma variaçãode até 2 mm, ou seja, (7.0 +-2.0)mm .  Este espaço deve permanecer sempre livre para o trânsito de abelhas , tanto no transporte de alimentos como para  ventilação.  Nada é construído neste espaço .

A figura 01 apresenta asdimensões básicas de um quadro padrão Langstroth, desenvolvido  a partir das observações na natureza dosfavos construídos pelas abelhas.

FIGURA 01: QUADRO PADRÃO LANGSTROTH









Exigir aos carpinteiros de enxergar um mísero milímetro é no mínimo  injusto. Mas tem-se que obedecer ao máximo a precisão especificada  na construção da colmeia, sob pena de se transgredir as leis do mundo das abelhas, que primam por precisões matemáticas  em suas construções. Ao contrário de outras colmeias, as medidas da Langstroth sofreram pouquíssimas modificações  ao longo destes mais de cem anos de emprego na apicultura em todo o mundo.  Dessa forma o segredo da construção da colmeia, está  em se obter um produto final com dimensões exatas, onde todas as  peças se encaixam podendo ser facilmente manipuladas pelo apicultor  sem causar danos à colônia de abelhas, evitando assim quequadros possam vir a ser quebrados por estarem colados com própolisou favos se rompam por estarem construídos em locais não  desejados pelo apicultor.

Para fins práticos, em carpintaria das colméias, este espaço-abelha é  geralmente 7 mm, o que é feito construindo-se quadros móveis  dentro das caixas. Langstroth teve a intuição de aplicar  "O Espaço Abelha"  encontrado em colméias naturais  em colmeias com quadros móveis, dimensionada de forma a existir um  espaço abelha entre os quadros e entre as partes que a compõem.  Com isso permitiu-se que o apicultor possa sacar facilmente qualquer quadro  ou outro componente da colmeia sem causar grandes distúrbios a vida da colmeia como a quebra de favos e de quadros colados com própolis.  Esta colmeia é prática e racional, obedecendo as leis da  natureza e oferecendo ao apicultor amplas facilidades de manejo

A nova colmeia permiti auma rainha prolifera seguir com a postura preenchendo todos os alvéolos disponíveis, no ritmo de uma face de quadro por dia. Seria desejável que a rainha, ao retornar ao ponto de partida, encontrasse sempre alvéolos vazios para a postura. Isto seria possível com o emprego de 10 quadros, pois as operárias nascem 21 dias após a postura do ovo. Assim, a rainha retornando ao ponto de partida, após percorrer todas as  20 faces dos quadros, encontraria já vacantes os alvéolos da postura de 21 dias atrás, e continuaria sua postura sem qualquer  restrição de espaço, de forma contínua.

Para que o almejado ritmo de postura fosse atingido, seria necessário então um quadro que coubesse em cada uma de suas faces um número suficiente de alvéolos para receber a postura máxima diária de uma rainha prolífera. Esse número foi determinado em torno de 3000 alveolos, o que correspondia a possibilidade de 3000 ovos. Considerando-se a area necessária  para estocagem de mel, observada na natureza (+-500 alveolos), então  o número de alveolos total em uma face do quadro seria de 3500 .Com isto que cerca de 3.000 alvéolos por face ficariam livres, à  disposição da rainha para a postura de ovos e cerca de 500  para a estocagem de pólen e mel  (é claro que acima do ninho  e acima de uma tela excluidora seriam posicionadas  as melgueiras em época  de floração principal, para recolher o desejado mel).

Dessa forma, considerando-se o número de alveolos por cm2 (àrea útil para postura +- 840  cm2 )   chegou-se as dimensões finais para o quadro de Langstroth.  Considerando-se o espaço abelha, foi possível também  calcular a Caixa Ninho, isto é a casa das abelhas onde seriam introduzidos  os referidos quadros.  A  figura 02 mostra uma "casa de abelha" padrão  Langstroth. Nessa casa das abelhas, as dimensões da colmeias Langstroth  possuem o espaço abelha de +- 0,75 cm entre as paredes da colmeia  e as lateriais dos quadros e +- 0,7 cm entre a vareta superior dos quadros  e a tampa ou parte inferior dos quadros da melgueira sobreposta .

Uma  colméia Langstroth é constituída por, ver figura 02:

  • assoalho ou fundo móvel, que protege  sua parte inferior e abriga o alvado;
  • ninho (com dez quadros), onde se desenvolverão  os favos para depósito de mel, pólen ou crias;
  • melgueira (com dez quadros), onde será  depositado o mel;
  • quadros ou caixilhos Hoffman, que são  estruturas de madeira abertas e servem de  suporte para desenvolvimento  dos favos; são móveis, facilitando a vistoria do interior  da colméia;
  • tampa;
  • alvado, que é a abertura de entrada  e saída das abelhas; e
  • pegadores.

  •  

     
     
     
     
     
     

    FIGURA 02: COLMÉIA PADRÃOLANGSTROTH.

    Colméia desmontada com detalhes






    Há apicultores que usam a melgueira  com a mesma altura do ninho (24 cm), para facilitar o manejo apícola.  Outros preferem utilizar melgueiras de menor altura (as meias-melgueiras,de 14,2 cm), alegando menor peso para manuseio e maior rapidez na maturação do mel (melhor ergonometria).

    A madeira para a construção das colméias deve ser leve, para facilitar o manejo, e não  pode apresentar cheiros fortes, que afugentam as abelhas. O pinho é  muito usado na construção das colméias. Atualmente  utiliza-se quadros de polystyrene e também melgueiras.

    Para pintar as colméias, recomenda-seo uso de tinta a óleo de cor clara (amarela, branca, azul-clara), já que as tonalidades escuras costumam deixar as abelhas mais agressivas. As colméias devem ser dispostas alternadamente, em cores diferentes, para facilitar os vôos de ensaio das abelhas.

    As colméias devem ser apoiadasem suportes de madeira, metal ou alvenaria. É muito usado, com eficiênciae economia, um tronco ou cano com uma cruzeta, um cone protetor cheio deóleo queimado para impedir ataques de formigas e um segundo cone invertido, para evitar a queda de abelhas e água da chuva dentrodo primeiro.

             A seguir apresentamos as as dimensões oficiais da colmeia Langstroth adotadas pela Confederação Brasileira de Apicultura - CBA, mostradas na figura 02.
    (Medidas em milímetros)

    Ninho (medidas internas) 465 x 370 x240

    Fundo 555 x 410

    Tampa 545 x 440

    Vareta superior do quadro 481 x 25 x20

    Acabamento da vareta nas pontas 25 X15 X 12

    Peças laterais do quadro 233x 35 e 25 x 10

    Vareta inferior do quadro 450 x 15 x12






     III - ABELHAS,COLMEIA E O APIÁRIO

    OU

    CLIQUE AQUI PARA RETORNAR À PÁGINA PRINCIPAL